Como montar um cronograma de estudos para concurso

Como montar um cronograma de estudos para concurso

Você estuda sem um cronograma? 

Ainda não sabe como montar um?

Não se preocupe.

Neste artigo você vai aprender a montar o mesmo cronograma de estudos utilizado pelos primeiros colocados em concursos públicos!

O cronograma de estudos, também chamado de plano de estudos, é uma das principais ferramentas utilizada por quem estuda para concursos.

Ele tem a a função de planejar quais serão as matérias estudadas ao longo do tempo, tendo em vista o dia da prova.

Fornece, assim, um mínimo de organização para guiar os estudos do concurseiro rumo à tão sonhada aprovação.

Planejamento sem execução adequada é tão ruim quanto o estudo sem um plano pré-definido.

De alguma maneira as duas situações descritas acima levam ao fracasso ou, pelo menos, à demora para conseguir uma aprovação. E, definitivamente, não é isso que desejo para você.

Como tenho certeza que você quer ser aprovado em tempo recorde (É por isso que está lendo este Blog!), vou ensiná-lo a montar um cronograma de estudos perfeito.

Um excelente plano vai ajudá-lo a economizar tempo e dinheiro durante a sua fase de preparação.

Com um plano bem elaborado você vai passar muito mais rápido!

Primeiro, vou te mostrar qual é erro número #1 que a maioria das pessoas cometem ao elaborar um plano de estudos.

Depois, vou ensinar como os primeiros colocados em concursos montam os seus cronogramas de estudo.

Por fim, você pode fazer o download das minhas planilhas em excel para começar a preencher, hoje mesmo, com as suas próprias informações e montar um plano personalizado.

Antes de baixar as planilhas, leia este artigo até o final. Ele contém as informações necessárias para o preenchimento delas.

O Plano de Estudos Tradicional

O erro número #1 dos concurseiros é montar um cronograma de estudos tradicional.

O que seria um plano tradicional?

É aquele em que você monta uma planilha com uma coluna na esquerda colocando seus horários do dia e uma linha superior com os dias semana.

No meio são escritas as matérias que serão estudadas correspondendo ao dia da semana (linha) e ao horário do dia (coluna).

Veja o exemplo de um plano de estudos tradicional:

Plano de estudos tradicional
Plano de Estudos Tradicional – Clique na imagem para ampliar

Reconhece esse plano? Imagino que sim!

Vantagem

Esse plano é um indício de que você está tentando planejar a sua rotina de estudos. Infelizmente, isso não é suficiente.

Desvantagens

A primeira desvantagem é que você precisa adaptar a sua rotina ao plano. Eu explico melhor.

No momento da elaboração do plano é feita uma previsão da rotina para a semana toda.

Vamos supor que no meio da semana apareça um imprevisto e você tenha que levar o seu filho ao médico exatamente na hora em que deveria estudar Português e Informática.

O que acontece no dia seguinte? Você tem que refazer todo o plano para incluir as matérias perdidas ou então seguir em frente sem estudá-las. Um coisa eu garanto, mesmo que você seja uma pessoa disciplinada, imprevistos acontecem.

Consegue imaginar qual é o resultado dessa constante necessidade de reformulação do plano? O resultado é a desmotivação! Você vai ficar com preguiça e vai acabar desistindo de seguir a planilha.

Outro problema desse tipo de plano é que geralmente você passa muito tempo sem rever a matéria que foi estudada. E esse erro é imperdoável para quem quer passar em concurso público, não é mesmo?

Eu preciso confessar uma coisa: eu já fiz vários desses planos E sabe quantos eu cumpri integralmente? Nenhum. Talvez você se identifique…

O Ciclo de Estudos – Antes do Edital

Como estudar para concursosO ciclo de estudos é uma invenção do Alexandre Meirelles e apareceu pela primeira vez na sua obra “Como Estudar Para Concursos“. Aliás, é um excelente livro, que eu indico na sessão “Livros” aqui do Blog.

Primeiro eu vou explicar como funciona o ciclo de estudos. Depois, vou falar um pouco sobre as vantagens e desvantagens dessa metodologia.

Antes, um alerta: o ciclo é fantástico para estudo antes da abertura do edital, que aliás compreende o maior tempo de preparação.

Depois do lançamento do edital, a abordagem deve ser diferente, como vamos ver adiante.

Eu já posso adiantar que o ciclo está provocando uma verdadeira revolução na forma de se preparar para concursos públicos.

Ele é muito mais eficiente que o plano tradicional.

Praticamente todos os concurseiros de alto nível que eu conheço utilizam a metodologia de ciclo de estudos.

No ciclo de estudos você também monta uma planilha, mas ela tem outro aspecto. No começo pode parecer um pouco complicado entender, mas eu vou facilitar sua vida com um exemplo:

Ciclo de Estudos
Ciclo de Estudos – Clique para ampliar

Note que o ciclo de exemplo acima é composto por 20h de estudos no total e possui 4 matérias (Português, Raciocínio Lógico, Administração e Inglês) distribuídas em 4 fases (linhas).

O estudo começa na 1ª Fase, com Português, da esquerda para a direita na horizontal, até chegar em Inglês. Depois continua na 2ª Fase e assim por diante até o final do ciclo (Inglês na 4ª Fase). Ao final das 20h, você deve recomeçar o ciclo. É por isso que tem esse nome. A mesma tabela poderia ser representada da seguinte forma:

Ciclo de Estudos
Ciclo de Estudo – Clique para ampliar

É claro que você vai usar em forma de planilha (e não de círculo) porque facilita a manipulação dos dados.

O tempo de estudo de cada matéria é definido com base na importância dela, levando em conta alguns critérios, tais como: conhecimento prévio, nível de dificuldade, peso e quantidade de questões.

IMPORTANTE: O ciclo da tabela acima é apenas um exemplo. Ele pode ter mais ou menos do que 20 horas. É você que define. A quantidade de matérias e o tempo de estudo de cada uma delas também são escolhas suas.

Meirelles dá 3 conselhos sobre a elaboração do ciclo:

  • Intercale matérias parecidas com outras diferentes para não cansar o cérebro.
  • Não estude uma mesma matéria por mais do que 3h seguidas (mesmo fazendo intervalos).
  • Monte um ciclo inicial com poucas matérias (ex. 4), depois elabore ciclos mais completos, com uma quantidade maior de disciplinas (ex. 10 ou todas do edital).

Qual é o segredo do ciclo de estudos? 

O segredo é este: você vai estudar quando tiver tempo livre!

Vamos supor que a sua manhã de hoje está livre. Você estuda 1h de Português, faz um intervalo, depois estuda mais 1h de Português (2h no total). Pronto. Faz uma pausa para o almoço.

No período da tarde não pode estudar por conta de um compromisso inadiável. Tudo bem. Quando retorna para sua casa, você retoma o ciclo estudando Inglês, onde você havia parado.

Entendeu a ideia?

Você sempre vai retomar o estudo quando tiver tempo e recomeçar do ponto em que parou na planilha. Pode ser na mesma matéria para completar as horas restantes ou na próxima, se já tiver concluído a anterior.

Desvantagem

O ciclo tem um problema. Se você não tiver muito compromisso com os estudos, pode acabar  procrastinando e privilegiando outras tarefas que não são tão urgentes assim.

Na verdade, não é bem um problema do ciclo. Eu sinto muito em dizer isso, mas se você não tiver compromisso, não vai passar em concurso público.

Então, esse não é um problema do ciclo propriamente dito, mas um problema na sua mentalidade e disposição em pagar o preço pela vitória.

Vantagens

O ciclo de estudos tem muito mais vantagens do que desvantagens.

A principal delas é a que o ciclo se adapta à sua rotina e não o contrário, tal como ocorre com o plano tradicional.

Assim, você pode ter uma flexibilidade maior na preparação. É sempre possível retomar do ponto em que parou, sem precisar reformular a planilha ou pular matérias.

Outra vantagem é que você não vai ficar muito tempo sem rever a mesma matéria. Isso facilita bastante o processo de memorização.

Além disso, você vai ficar viciado no desafio de completar os ciclos em tempos cada vez mais curtos. Em outras palavras, você vai querer rodar o ciclo cada vez mais rápido.

Perceba que metodologia dos ciclos vai injetar uma dose diária de motivação nas suas veias.

Ao variar as disciplinas, o seu cérebro descansa, assimilando melhor os conteúdos. Por isso o conselho de interessante intercalar disciplinas parecidas, colocando outras com diferentes formas de raciocínio “no meio”.

Por fim, você será obrigado a estudar o que não gosta e/ou as disciplinas que sabe menos, evitando estudar apenas as matérias que gosta ou tem mais domínio.

Para Meirelles, 99% das chances de ser eliminado em um concurso estão nas matérias que o candidato não gosta de estudar.

São muitas as vantagens, não acha?

Agora você já tem motivos suficientes para substituir a tradicional planilha pelo ciclo de estudos.

Download da planilha do cronograma de estudos

Calendário e Quadro de Controle dos Estudos – Após o Edital

O ciclo de estudos é a metodologia correta para estudo antes do edital.

Mas e depois? Por que mudar?

Uma coisa é estudar pelo edital anterior que, aliás, é uma excelente referência. Porém, essa referência acaba no momento em que o novo edital é lançado!

O edital oficial contém todas as regras do jogo e você precisa conhecê-las muito bem se pretende vencer a batalha.

Agora você sabe exatamente quando será o dia da prova e, mais do que isso, você sabe que esse tempo é curto (de 45 a 90 dias). Por isso, precisa estar organizado e de uma nova abordagem com o objetivo de turbinar os estudos nesse período.

E a melhor forma de se organizar depois do edital, segundo Alexandre Meirelles, é montando um calendário de estudos e um quadro de controle dos estudos. Espere! Tanto o calendário, como o quadro, não têm nada a ver com aquele plano tradicional que você viu lá em cima.

Calendário de Estudos

O calendário de estudos vai abranger o período entre o dia da abertura do edital até o dia da prova.

Calendário de Estudos
Calendário de Estudos – Clique na imagem para ampliar

Note que o calendário contém uma linha superior com o dias da semana e uma coluna na direita com o total de horas estudas na semana.

O calendário da imagem acima é apenas um exemplo. Por isso, para efeito de mera visualização, preenchi com as mesmas matérias. Eu quero que você entenda que nesse período todas as disciplinas do edital vão ser estudadas, em um número específico de horas, até o momento da revisão de véspera.

Esse número específico de horas a estudar por disciplina vai ser definido por você no quadro de controle de estudo, explicado mais a frente.

Veja quais são os elementos que devem constar em cada dia do calendário de estudos (quadrado):

Quadrado Calendário
Um dia no calendário de estudos

Estudo Previsto

Você vai preencher cada quadrado com os dias da semana (no canto superior esquerdo), com as matérias e a previsão das respectivas horas de estudo (líquidas) diárias de cada uma delas, no centro, até o dia da prova. No canto inferior esquerdo anote o total de horas previstas para o dia (HP).

Essa previsão deve levar em conta os compromissos inadiáveis, como o aniversário da sua mãe, por exemplo.

Separe de 3 a 7 dias antes da prova exclusivamente para fazer a revisão. Esse tempo vai ser maior ou menor conforme a cobertura total ou quase total do programa.

No calendário de exemplo, o edital foi publicado no dia 3 e as provas foram marcadas para o final de semana nos dias 26 e 27 do mês seguinte.

Estudo Efetivo

Anote em um papel separado a quantidade de horas, de fato, estudadas em cada disciplina. Ao final do dia apague as horas previstas para cada disciplina no calendário e substitua pelas horas efetivamente estudas (HE) em cada um delas. Some o tempo total de estudo do dia e anote no canto inferior direito.

Compare o total de horas previstas – HP (canto inferior esquerdo) com o total de horas estudas – HE (canto inferior direito) para o referido dia . Se estudou menos, corrija a falha. Se estou mais, fique com a consciência tranquila.

Ao final da semana, some na última coluna o total de horas estudadas. Isso vai servir para comparar posteriormente as semanas, verificar o desempenho e corrigir eventuais falhas.

Quadro de Controle de Estudos

Ok. Você já sabe que precisa montar um calendário de estudos após o edital. Mas existe um outro problema: como definir a quantidade de horas de estudo para cada matéria após o edital? E como controlar esse tempo?

Para resolver esse problema, você tem que montar um quadro de controle de estudos (QCE). Primeiro veja um exemplo de QCE. Depois, vou explicar como ele funciona.

Quadro de Controle de Estudos
Quadro de Controle de Estudos (QCE) – Clique na imagem para ampliar

Vamos entender como preencher cada campo do QCE:

a) Disciplina: nome de cada disciplina que consta no edital.

b) Questões: quantidade questões de cada disciplina (extraída do edital).

c) Peso: peso atribuído pelo edital às questões de uma determinada disciplina.

d) Total de Pontos: extraído da tabela do edital, é o resultado da multiplicação entre o número de questões e o peso de cada disciplina.

e) % Total de Pontos: percentual do total de pontos de uma disciplina em relação ao total de pontos da soma de todas elas. É uma regra de 3. Ex. 120 é 100%. Legislação, com 50 pontos, é quanto em termos percentuais? O resultado é 41,67% Total de Pontos. Isso significa dizer que, no exemplo, Legislação ocupa 41,67% da pontuação total da prova. Logo, merece uma atenção especial. A planilha que você vai baixar faz esse cálculo automaticamente.

f) Horas inicias de Estudo: quantidade total de horas que você estudará cada disciplina até a véspera dos dias das revisões. Apenas você pode definir esse tempo total de estudo de cada disciplina até a véspera da prova. Os critérios são os seguintes: a) o quanto você já estudo da matéria até aqui; b) qual é o percentual da pontuação da matéria em relação ao total de pontos da prova, e c) qual é o nível de complexidade da matéria. Esse processo é trabalhoso, vai esquentar a sua cabeça. Mas é melhor esquentar agora do que chegar perto da prova e perceber que estudou muito uma matéria e quase nada da outra. Não se preocupe. É normal ajustar esse tempo total de cada disciplina ao longo dos dias.

g) Tempo Restante de Estudo: cada vez que estudar, subtraia o tempo de horas efetivamente estudadas em cada disciplina das horas inicias de estudo (coluna anterior) e anote aqui o tempo restante (TRE = horas inicias – horas já estudadas). Essas anotações são feitas lado a lado. O objetivo é chegar a zero em todas as matérias na véspera da prova.

Alexandre Meirelles fala que o calendário de estudo e o quadro de controle de estudos são como Romeu e Julieta: inseparáveis. Os dois devem guiar, ao mesmo tempo, o seu estudo após o lançamento do edital.

Conclusão

Esqueça o plano tradicional de estudos.

Antes do edital, estude pelo ciclo de estudos e depois do edital monte um calendário de estudos e um quadro de controle de estudos.

Eles são muito mais eficientes e vão ajudá-lo a passar em um concurso público em tempo recorde!

Mapa Mental Cronograma de Estudos

Download da planilha do cronograma de estudos

https://www.youtube.com/watch?v=piMje3qhE8I

Se tiver alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo…